Fotografias: Gabriela Palha

Do rio que chega e deságua na vida dessas mulheres. Molha os pés. Transborda pelas mãos. Inunda os olhos. Mulheres descalças na água desnuda. Vida serena, voraz. A água está ali. Fonte de sonho e cor. Forte, doce, ancestral. Avós, bisavós, tias, primas, comadres, companheiras de longas datas. Paraguaçu como existência nascente. Palavra de subsistência, significado marcado na pele. O rio passa com todos os seus mistérios e realeza. Resplandecente. Segue seu rumo, sempre adiante, mirando o porvir.

 

O que dele fica, afinal?

Texto: Mariana Kaoos

AGENDA

 

18 A 23 

DE MARÇO.2019

Entre os dias 18 a 23 de março será realizada mais uma edição do projeto Mulheres do Paraguaçu, dessa vez na cidade de Salvador.

 

O Rio Paraguaçu atravessa o território baiano e desemboca nas águas da Baía de Todos os Santos, em Salvador. O Uruguai é um dos bairros que recebem essas águas como num abraço e é justamente por esse motivo que o Mulheres do Paraguaçu irá se relacionar com este lugar.

E, dessa vez, o projeto conta com o financiamento do edital Arte Todo Dia - Ano IV, da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura de Salvador.

Fundação Gregório de Mattos

  • Facebook
  • Instagram

Prefeitura de Salvador

  • Facebook
  • Instagram

ESPAÇO CULTURAL ALAGADOS

Salvador - Bahia

O Espaço Cultural Alagados está situado no fim de linha do bairro do Uruguai, é coordenado pela educadora cultural Jamira Alves Muniz e se caracteriza como um importante equipamento artístico para a região.

O local tem caráter multiuso e desenvolve atividades artísticas e educacionais para crianças, adolescentes e adultos. Dessa maneira, apoia e realiza peças de teatro, festivais de dança, concertos musicais, exibições cinematográficas, diversas oficinas, assim como também possui uma gibiteca e é a sede da Associação de Capoeira Filhos do Sol Nascente.

Espaço Cultural  Alagados

  • Facebook

ATIVIDADES

Oficina de Criação de Histórias e Bordados

Oficina de Empreendedorismo

Apresentação de Contação de Histórias

A Oficina de Criação de Histórias e Bordados busca chegar a um local íntimo e profundo de conexão entre as mulheres, investigando as trajetórias individuais e coletivas, a fim de desenvolver a si mesma e a arte através de novos paradigmas.


A Oficina de Empreendedorismo pesquisa o desejo  profissional mais autêntico de cada mulher e identifica estratégias de materialização.

 

E a Apresentação de Contação de Histórias é um momento de compartilhamento dos produtos realizados dentro de cada oficina, acrescido de uma apresentação de histórias da tradição oral que se conectam com as experiências e a vida das mulheres locais.

Mulheres do Paraguaçu

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

AGENDA

SOBRE

o projeto

As mulheres e o Rio se entrelaçam através de uma relação simbiótica, onde aspectos culturais, sociais e econômicos são fundamentais na construção de todas as personagens envolvidas. Há muito tempo na existência desse mundo, as mulheres e o rio vem desfrutando dessa relação de co-existência e co-construção de si mesmos.

O projeto Mulheres do Paraguaçu visa criar novas narrativas femininas através de vivências artísticas e educacionais com mulheres que moram em cidades banhadas pelo Rio Paraguaçu, considerando desde a nascente até a foz do rio. Dessa forma, pretende-se pesquisar, valorar e salvaguardar o conhecimento tradicional de lideranças femininas, representantes de uma cultura genuinamente popular que, cotidianamente, se relaciona com o Rio Paraguaçu. 

O Rio Paraguaçu ganhou esse nome devido ao seu extenso trajeto: a palavra Paraguaçu vem do Tupi e significa “rio grande” – pará: “rio” e gûasu: “grande”. Sua nascente está localizada no Morro do Ouro, na Serra do Cocal, no município de Barra da Estiva, na região da Chapada Diamantina, em seguida, continua atravessando a Chapada Diamantina, chega ao Recôncavo Baiano e, finalmente, desemboca na Baía de Todos os Santos, em Salvador. Grande em extensão e em importância, o Rio Paraguaçu já foi a principal rota de entrada para o interior da Bahia e já trafegou grandes e pequenas embarcações que ligavam Salvador ao Recôncavo Baiano, estabelecendo um forte trajeto comercial entre a metrópole e o interior do estado.

Fonte de amor, alegria, dor, sofrimento, imaginário, sobrevivência e sagrado para índios, africanos, europeus e brasileiros, o Rio Paraguaçu está presente no território baiano de forma marcante e intensa há muitos anos. Mas, e as nossas mulheres – jovens, adultas e idosas – de hoje em dia, como se conectam com esse ser encantado? Como tecer uma história do feminino através do mergulho nas águas desse rio? Como as histórias femininas, de diversos lugares por onde essas águas caminham, se espelham, se refletem e se multiplicam? Em que profundezas as mulheres se perpetuam em novas gerações?

 

Esses e outros questionamentos são tensionados a partir da interação da equipe do projeto com as participantes, com os locais visitados e através das oficinas buscamos estabelecer um diálogo profundo, delicado, construtivo e emancipador para as mulheres recontarem e reconfigurarem as suas próprias histórias individuais e coletivas.

o rio
o encontro
 
 

HISTÓRICO

O projeto Mulheres do Paraguaçu tem a concepção e direção artística de Larissa Leão e foi inaugurado em 2018, com o apoio financeiro do Fundo de Cultura da Bahia através do Edital Setorial de Territórios Culturais, sendo então realizado nas cidades de Cabaceiras do Paraguaçu, no povoado de São Francisco do Paraguaçu – distrito de Cachoeira – e em Maragogipe. 

Em cada uma dessas localidades, a equipe de 10 artistas e educadores habitou e conviveu com a comunidade local durante 2 semanas, realizando pesquisa de campo, criação e apresentação de um espetáculo de Contação de Histórias e oferecendo a Oficinas de Contação de Histórias e Bordado, a Oficina de Audiovisual e a Oficina de Capacitação para Mulheres Empreendedoras. O público direto alcançado e beneficiado nessas cidades foi de cerca de 500 pessoas, de todas as faixas etárias.

A partir da experiência vivida em 2018, o Projeto Mulheres do Paraguaçu se atualiza e realiza novamente as suas atividades, porém, dessa vez, na cidade de Salvador, exatamente onde as águas do Rio Paraguaçu encontram o mar da Baía de Todos os Santos.

Em Salvador, a equipe do projeto irá ocupar durante 1 semana o Espaço Cultural Alagados, no bairro do Uruguai, e irá realizar a Oficina de Criação de Histórias e Bordados, a Oficina de Empreendedorismo e a Apresentação de Contação de Histórias. A previsão é de atingir diretamente 250 pessoas, na faixa etária de 20 a 60 anos de idade, principalmente do gênero feminino. Esta realização conta com o apoio do Espaço Cultural Alagados e da Rede Reprotai e o financiamento fica a cargo do Edital Arte Todo Dia – Ano IV, da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura de Salvador.

E, além de realizar o nosso projeto nas cidades supracitadas, a nossa ambição é nos expandirmos por mais e mais cidades e vilarejos, rio abaixo e rio acima, reconhecendo e reescrevendo a história da Bahia e do Brasil através da vivência dessas Mulheres do Paraguaçu.

CIDADES
CABACEIRAS
DO PARAGUAÇU
- em breve -
SÃO FRANCISCO
DO PARAGUAÇU
- em breve -
ATIVIDADES
 

EQUIPE

LARISSA LEÃO

Diretora Artística

Facilitadora da Oficina de Audiovisual

LAURA FRANCO

Bordadeira e Contadora de Histórias

Facilitadora da Oficina de Criação de Histórias e Bordados

DANIELLE ANDRADE

Contadora de Histórias

Facilitadora da Oficina de Criação Histórias e Bordados

ALANNA OLIVEIRA

Produtora

MARIANA KAOOS

Assessora de Comunicação

GABRIELA PALHA

Fotógrafa

ÍTALA HERTA

Facilitadora da Oficina de Empreendedorismo

HUGO LEONARDO

Diretor Executivo

ANNA LUISA SANTOS

Diretora de Produção

CONTATO

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
 

Site criado por Larissa Leão - Fevereiro de 2019